Campanhas de saldos: as melhores estratégias digitais e o que não fazer

Campanhas de saldos: as melhores estratégias digitais e o que não fazer

Janeiro é um dos mais importantes meses para os negócios, sobretudo digitais, uma vez que os saldos são enormes estímulos à compra. Contudo, com tantas marcas online é fulcral que se faça distinguir da concorrência, aplicando as melhores estratégias para o seu negócio e evitando os erros mais comuns.

 

As melhores estratégias de marketing digital para saldos

É importante que perceba que nem todas as estratégias podem (ou devem) ser aplicadas a todos os negócios. Além disso, as sugestões que lhe trazemos são recursos de marketing e não de finanças, por isso, faça contas antes de fazer promoções!

 

Vendas Exclusivas e Antecipadas

Não há desejo mais forte que a sensação de restrito. Ao comunicar um momento de vendas exclusivas para os seus clientes está a fazê-los sentirem-se únicos. Esta estratégia, para além de potenciar as vendas é uma forma de retribuir aos seus clientes a preferência e de fazer com que potenciais clientes desejem tornar-se igualmente especiais.

 

O retargeting ou remarketing

As ações de retargeting apresentam ao potencial consumidor artigos pelos quais ele já mostrou interesse, enquanto ele navega em websites e redes sociais. Se o consumidor já estava interessado, agora com os benefícios adicionais dos saldos, o que acha que vai acontecer?

 

Sentido de Urgência

Pode adicionar aos produtos em saldos um sentido de urgência com um “contra-relógio”, “edições limitadas”, “entrega gratuita hoje”, “só hoje: na compra deste produto, desconto de 5% em outro produto”, entre tantas outras. 

Estas vantagens adicionais têm respostas muito positivas da parte dos consumidores, o neuromarketing explica-lhe porquê – espreite o nosso blog post anterior.

 

Canais Cruzados

Se já sabe exatamente onde está o seu público, pode passar para o ponto seguinte. Se ainda não tem a certeza, utilize múltiplos canais para fazer a sua mensagem chegar a mais pessoas, nomeadamente, as várias redes sociais, o WhatsApp, o email marketing, os influencers…

 

Aprenda com o passado

O que vendeu mais no ano anterior? 

Qual foi o feedback dos consumidores? 

Há algum produto específico que tenha mais visualizações, mas não tantas concretizações? Qual o produto que mais o diferencia da concorrência? 

Quais os produtos com maior margem para redução de preço? 

Há algum dos produtos que vá ficar em desuso ou descontinuado? 

As respostas a estas perguntas vão dar-lhe informação valiosa para definir o que vai fazer e como vai fazer.

 

Follow-up

Infelizmente, na maioria das vezes, o processo de compra termina quando o cliente recebe o produto. O que é um erro tremendo, uma vez que é mais barato reter clientes do que conquistar novos. 

Pode começar por criar um processo de acompanhamento atencioso e genuinamente útil, enviando um email com agradecimento, pedir feedback, oferecer dicas e enviar um código promocional para produtos complementares.

Esta tática não é só útil nos saldos, mas a verdade é que nesta altura há uma maior predisposição do cliente para voltar a comprar. 

 

Estratégias de saldos para as vendas online

 

O que não fazer

Saber o que não fazer é tão ou mais importante que conhecer os segredos das estratégias do marketing digital, uma vez que, mesmo que empenhe todos os esforços e recursos na ativação das melhores campanhas, caso não tenha atenção aos seguintes pontos, o resultado poderá será o inverso:

 

Questões Técnicas

Os consumidores não vão ter paciência para erros no website, sobretudo numa altura em que a concorrência luta pela sua atenção.

Elimine processos desnecessários, anteveja eventuais problemas, faça testes e evite passar uma imagem desleixada. Não se esqueça: se o utilizador tiver uma má experiência, ele não vai voltar. 

 

Honestidade

É a reputação da empresa que está em jogo, por isso não comunique que está com 90% de desconto se só tiver um artigo com este desconto, que por acaso até já esgotou… Do mesmo modo, não diga que o artigo está em promoção quando no mês passado o valor era inferior. Também não garanta factos que não pode comprovar, nem faça promessas que não vai conseguir cumprir.

De uma forma geral, reina o bom senso, seja claro e transparente. 

 

Poupar no que não deve

A enorme disputa pela atenção do cliente sobretudo no mercado digital, obriga a uma apresentação cuidada a todos os níveis. Por exemplo, provavelmente o seu sobrinho até sabe tirar boas fotografias, mas será que sabe e tem material para fazer fotografia de produto?

Compreendemos que, nos tempos que correm, os orçamentos são mais ponderados, mas tal não significa fazer más escolhas. 

Agora, toca a vender! E muito!

Não há comentários
Deixe um comentário