análise comparativa em SEO métricas e ferramentas

Como fazer análise comparativa em SEO?
+ Métricas a estar atento e ferramentas

O desenvolvimento de um negócio implica vários desafios e obstáculos. Um dos quais, como é sabido, passa pela concorrência. O que está a fazer bem? Será que já saturou o mercado? Podemos firmar parcerias? No que é que a nossa empresa se destaca?… A análise comparativa em SEO pode ser a resposta às questões que se podem colocar e que mostram a importância da análise da concorrência para a compreensão do cenário envolvente e na construção de objetivos palpáveis para a própria organização.

Assim, poder-se-ão obter possíveis insights valiosos sobre as práticas do setor com recurso às ferramentas que apresentamos, o que por sua vez permitirá avaliar forças e fraquezas, ajudando a delinear um plano concreto para uma eventual diferenciação no mercado. 

Ora, esta avaliação não apenas possibilita a antecipação e adoção de tendências presentes em métricas observáveis, como ainda capacita as empresas a ajustar as respetivas abordagens e inovações de forma a que se possa destacar da concorrência.

Uma das formas de o fazer é através do SEO. Afinal, estamos a falar de algo que é, inerentemente, comparativo. Ou seja, é via SEO que nos posicionamos à frente dos nossos concorrentes quando o nosso público potencial faz uma pesquisa num qualquer motor de busca – no fundo, o Google.

 

Como se pode fazer análise comparativa em SEO?

Considere a possibilidade do seu site concorrer pela palavra ‘fraldas’, que obteve cerca de 40 mil pesquisas por mês, em média. 

Há vários sites em concorrência e só um deles conseguirá estar em 1º lugar. Um pouco como uma corrida de fórmula 1. Só um pode ter aquela posição privilegiada. Mas quais as métricas que se devem ter em conta?

 

Métricas e ferramentas:

  • URL: de forma a facilitar a manipulação de dados, é importante termos o URL dos nossos concorrentes à mão;
  • Título: pode parecer secundário, mas este é um elemento fundamental. Afinal, é o título que vai desencadear interesse de quem visita o site;
  • Produtos: se estivermos a lidar com e-commerce, é necessário considerar a oferta dos produtos dos nossos concorrentes;
  • On-Page: a ferramenta Moz é muito útil neste aspeto. Afinal, analisa a On-Page e avalia-a de 0 a 100, podendo dar-lhe uma perspetiva quantificável de como se posiciona o seu site face à concorrência;
  • Share of Search: esta métrica é muito interessante, já que identifica o reconhecimento da marca. Com efeito, faz uma estimativa de cliques e, por isso, do CTR.
  • Backlinks: o número de links de outros domínios a apontar para a página em análise;
  • Domínios a Linkar a página: muito simplesmente, trata-se do número de domínios que linkam a página analisada;
  • Autoridade da página e do domínio: avaliada de 0 a 100, permite obter uma estimativa da autoridade da página e do domínio.
  • Tráfego da página: é apenas uma estimativa das visitas ao site, ou do tráfego da página. O Ahrefs é a melhor ferramenta para o ajudar a obter esses dados.
  • Duração da sessão no total do site: aqui poderá perceber o engajamento do site ou o tempo que as pessoas lá passam – pode obter essa métrica de forma gratuita, através do Similar Web:
  • Contador de palavras: como o nome indica, trata-se apenas de um contador de palavras – pode fazê-lo manualmente ao selecionar o conteúdo presente na mesma antes de colar na ferramenta Word Counter.

Avaliadas todas as métricas acima citadas, é preciso fazer um cruzamento de dados para perceber que sites estão a funcionar melhor e tentar perceber a razão de tal acontecer. 

 

Como comparar resultados ?

O primeiro passo é fazer uma análise interna e compará-la com os sites que concorrem com o seu negócio. A partir daí, deverá estabelecer uma comparação com os melhores (apontamos sempre para o topo!). Poderá simplesmente fazer uma média dos sites melhor classificados e perceber em que aspeto é que o seu pode melhorar. 

 

Outros dados a ter em consideração

A frieza dos números pode esconder alguns dados importantes. Imaginemos um texto com 1000 palavras ou mais. Pode ter o número certo para resultar bem, mas fazê-lo apenas para cumprir quota de palavras retira toda a parte orgânica associada. Ou seja, é preferível escrever algo que faça sentido e não algo que seja apenas para agrado do Google e não o dos seus utilizadores.

Por falar em utilizadores, procure que a experiência de quem visita o seu site seja a mais agradável possível. Evite ter sites que demoram a carregar e torne-os mais navegável.

Estámos cá para o ajudar, se precisar de dar um Up ao seu negócio!

Artigos Relacionados

Comente

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

cookies
logo-upwego

As cookies ajudam a criar grandes experiências, a gerar emoções e a conseguir resultados! Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.